VEJA A LISTA: Prefeitos paraibanos eleitos em 2020 já estão sendo investigados pelo MPF e MPPB


Após 8 meses de mandato dos prefeitos eleitos em 2020, você certamente já viu alguma notícia de investigação em municípios da Paraíba. Com a pandemia, o Ministério Público tem feito hora extra e as investigações, que antes miravam corrupção envolvendo dinheiro público, agora envolvem também ataques a saúde pública. Na Paraíba, desde o início do mandato, sete chefes de Executivos municipais já estão sendo investigados por algum tipo de crime.

Tanto o Ministério Público, como a Polícia Federal, tem se dedicado a investigar as ações dos “recém-eleitos”. Entre os inquéritos, há desde prefeito que furou a fila da vacina até esquema de rachadinha na prefeitura. Houve ainda quem superfaturou equipamentos de combate à pandemia, segundo o MP. Além disso, outros dois provocaram aglomerações e incentivaram a população a se contaminar.

Demais prefeitos e ex-prefeitos do estado também enfrentam acusações e processos abertos. No entanto, o levantamento abaixo leva em conta apenas os que estão sendo investigados por supostos crimes no atual mandato.

Veja a lista de investigados (as) em ordem alfabética:

Célio Barbosa/São João do Tigre – Também o MPPB ofereceu denúncia ao Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) contra o ex – prefeito de São João do Tigre, José Maucélio Barbosa, conhecido como Célio Barbosa, pela prática de crime contra a saúde pública, e por incentivar, publicamente, a população do município a participar de evento com grande aglomeração de pessoas.

Cristiano Ferreira Monteiro/Caaporã – O prefeito tem parte de seus bens bloqueados numa ação que apura irregularidades na execução de despesas com a contratação de uma empresa de limpeza urbana, sem a realização de prévio procedimento de licitação e comprovada situação de calamidade pública.

Dr. Verissinho/Pombal – Abmael De Sousa Lacerda, conhecido por Dr. Verissinho (MDB), está sendo investigado por ter furado a fila da vacinação. Nas redes sociais, o gestor é visto entre autoridades de saúde da cidade e outras pessoas que também foram imunizadas. O político negou que furou a fila da vacina, mas o Ministério Público da Paraíba investiga o caso.

Leninha de Romão/Uiraúna – O MPPB instaurou um procedimento investigatório criminal (PIC) para apurar ato da prefeita de Uiraúna, Maria Sulene Dantas Sarmento, conhecida como Leninha de Romão (Progressistas), ao convidar a população para queima de fogos que resultou em aglomeração no município.

Luciene Gomes/Bayeux – A Prefeitura de Bayeux  está sendo investigada pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB). A suspeita é de superfaturamento na locação de um tomógrafo para auxiliar no diagnóstico de casos de covid-19. Em junho, Luciene foi absolvida de uma denúncia que apontava utilização de patrimônio público em campanha.

Melquiades João/Mulungu – A operação “Falsum Latere”, da Polícia Federal investiga um suposto esquema de “rachadinha” envolvendo uma rede de prestadores de serviço e servidores “fantasmas” contratados na Prefeitura de Mulungu.

Zé Aldemir/Cajazeiras – A promotora Sarah Araújo Viana de Lucena, da Promotoria de Justiça Cumulativa de Cajazeiras, abriu inquérito para investigar a denúncia de que o prefeito de Cajazeiras, José Aldemir (Progressistas), teria contratado dentistas por “excepcional interesse público” em detrimento de aprovados para o cargo em concurso público.


Fonte: polemicaparaiba

Compartilha via Whatsapp

Sobre Chico Lobo

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook