Socioeducandas participam de curso profissionalizante de confeiteiro de tortas

Capacitar socioeducandas para produção de bolos e tortas. Este é o principal objetivo do curso de Confeiteiro destinado a 13 socioeducandas da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente “Alice de Almeida” (Fundac). O curso, ministrado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai, é fruto da parceria entre a Fundac e a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano e teve início nessa quinta-feira (9), no Centro de Atendimento Socioeducativo Rita Gadelha.

Segundo Josicleide Nunes da Costa Fernandes, coordenadora pedagógica do Senai, durante o curso de Confeiteiro de Tortas as socioeducandas terão a oportunidade de aprender desde o preparo de massas aos recheios e coberturas de bolos e tortas. “O curso de iniciação profissional está sendo ministrado pelo chefe de cozinha, professor Fabiano, e terá carga horária de 40 horas”, explicou a coordenadora.

Para Luciana Brito Gomes, diretora do Centro de Atendimento Socioeducativo Rita Gadelha, a  dimensão educacional e pedagógica que envolve as medidas socioeducativas tem como objetivo apontar a importância de adotar práticas inclusivas na execução destas. “Neste curso, estamos contando com a participação de todas as jovens e adolescentes que atualmente cumprem medidas socioeducativas na Unidade, sendo: 12 sentenciadas e uma provisória, totalizando 13 socioeducandas”, disse a diretora.

“A profissionalização é uma prática inclusiva capaz de proporcionar ao adolescente em conflito com a lei a superação de sua situação de exclusão social, bem como a criação de valores positivos relativos ao trabalho, uma vez que o trabalho sempre foi visto como um instrumento de resgate daqueles indivíduos que inúmeras vezes se submetem a exploração do tráfico e do trabalho infantil”, concluiu Luciana Brito Gomes.

Anteriormente a este curso de Confeiteiro de Tortas, a parceria entre a Fundac e a Sedh já havia beneficiado as socioeducandas do Centro Socioeducativo Rita Gadelha com curso de qualificação profissional de Confecção de Lingerie e Moda Praia. “O curso habilitou as socioeducandas no manuseio de máquinas industriais para confecção de roupas íntimas, lingerie e moda praia, teve carga horária de 160 horas, e foi ministrado pela professora do Senai, Raquel Oliveira”, disse Josicleide Nunes.

Compartilha via Whatsapp

Sobre Redação AgoraPB

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.