CCJ derruba parecer de Veto a projeto que institui Política Municipal de Práticas Sustentáveis em JP

A Comissão de Constituição, Justiça, Redação e Legislação Participativa (CCJ) da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) analisou, na manhã desta segunda-feira (6), 17 matérias. Entre elas, Veto do Executivo Municipal ao Projeto de Lei Ordinária (PLO) 17/2017 que dispõe sobre a Política Municipal de Práticas Sustentáveis. Os parlamentares chegaram à conclusão de que o projeto é constitucional e votaram pela rejeição do veto.

O parecer pela rejeição do veto foi do vereador Milanez Neto (PTB), que garantiu a discussão de todo e qualquer veto. “Todo e qualquer veto que vimos firmeza e fundamento na constitucionalidade vamos derrubar, não por vereador ou bancada, mas pela Casa”, declarou. O autor do projeto, vereador Thiago Lucena (PMN), justificou o voto favorável à rejeição do Veto. “Não impomos nenhuma obrigação à Prefeitura da Capital. Com a utilização de energias renováveis e o aproveitamento de águas pluviais, quem ganha é a economia do poder público e as gerações futuras”, ressaltou Thiago Lucena.

Demais matérias

Ao todo, foram apreciados dois Vetos, um Projeto de Decreto Legislativo (PDL) e 14 PLOs. Desses, seis tiveram parecer pela constitucionalidade; um parecer pela constitucionalidade derrubado e outro pela inconstitucionalidade rejeitado; e mais seis pedidos de vista para melhor aprofundamento da matéria.

Dos PLos com pareceres pela constitucionalidade aprovados, destacam-se: o que dispõe sobre a cobrança diferenciada de ingressos entre pessoas do gênero masculino e feminino nos restaurantes, casa de shows e similares; o que dispõe sobre a obrigatoriedade de atendimento aos deficientes auditivos nos cursos pré-vestibulares e preparatórios para Enem na Capital; e o que dispõe sobre a utilização de contêineres para fins comerciais ou residenciais.

Já dentre as matérias que tiveram pedidos de vista de parlamentares, estão o projeto que dispõe sobre as normas que regulam a anuência e a fiscalização da execução de obras que interfiram no pavimento dos logradouros públicos e das obras de pavimentação das vias públicas e dá outras providências; o que proíbe cobrança de estacionamento em hospitais, clínicas e ambulatórios; e o que dispõe sobre a colocação de lixeiras nos ônibus destinados ao transporte público de passageiros da Capital.

O PDL que concede a Comenda João Paulo II à Comunidade Missionária Consolação Misericordiosa teve parecer favorável aprovado pelos parlamentares. Os projetos com pareceres favoráveis devem passar pelas demais comissões permanentes da Casa para serem analisadas em

plenário.
Compartilha via Whatsapp

Sobre TV AgoraPB

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook