Governo encerra Campanha de Doação de Órgãos e Tecidos com Caminhada Pela Vida

O Governo do Estado, por meio da Central de Transplante, encerrou nesse sábado (30) a Campanha de Doação de Órgãos e Tecidos, que neste ano teve como tema “Doar órgãos é amar sem medidas”. Para fechar o ciclo de atividades durante todo o mês de setembro, foi realizada a Caminhada pela Vida, às 15h, seguindo da Avenida Epitácio Pessoa até o Busto de Tamandaré, na capital.

“A campanha tem o objetivo de sensibilizar a população e, consequentemente, aumentar o número de transplantes. Fechamos as atividades deste ano com uma caminhada que divulga a importância de doar órgãos. A movimentação na rua chama a atenção, desperta a curiosidade e incentiva o diálogo e a reflexão”, afirmou a diretora da Central de Transplante, Gyanna Lys Montenegro.

Ainda de acordo com a diretora, a cada ano a Campanha de Doação de Órgãos e Tecidos tem um engajamento maior da população. “Quanto mais se fala sobre o assunto, melhor. Quando as pessoas sabem da importância da doação de órgãos, abraçam a causa. Mesmo sabendo que quem decide é a família, cada um precisa externar o seu desejo de ser doador de órgãos. Comunique a todas as pessoas próximas sobre o seu desejo de ser doador para que a família atenda seu desejo após a morte”, alertou Gyanna.

Participaram da Caminhada Pela Vida, além dos profissionais da Central de Transplante, associações de motociclistas, clubes de bicicletas, alunos e professores da Escola Municipal Agostinho Fonseca Neto e a população em geral.

“Nossos alunos fizeram durante o mês atividades em sala de aula sobre a importância de doar órgãos. Trouxemos a banda da escola para animar a caminhada e, claro, seguir com a conscientização, porque ela tem que acontecer desde cedo. Os estudantes são multiplicadores das informações”, disse a diretora da Escola Municipal Agostinho Fonseca Neto, Maria de Fátima Brito.

Campanha – No mês de setembro, foram realizadas ações de conscientização sobre a importância de doar órgãos em João Pessoa e Campina Grande. Entre as atividades, foram feitas palestras científicas, culto ecumênico, apresentação teatral, distribuição de material educativo, além da Caminhada Pela Vida, no encerramento.
Dados – Segundo dados da Central de Transplantes da Paraíba, de 1 de janeiro a 15 de setembro de 2017 foram realizados 140 transplantes na Paraíba, sendo 114 de córnea, 12 de rim cadáver, 13 de rim intervivo e 1 transplante de fígado.

Quanto ao número de doadores, no mesmo período foram 135 de córnea e 4 de múltiplos órgãos. “Os transplantes acontecem de acordo com o número de doações. Precisamos mostrar que o transplante é importante para tirar do sofrimento tanto o paciente quanto os seus familiares”, sugeriu Gyanna.

Nova sede – A Central de Transplante da Paraíba está funcionando no Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, na capital. A mudança é uma conquista importante para a logística do processo de doação de órgãos e tecidos para transplantes por estar sediada no complexo do Trauma, que é a maior unidade em doações.

“Além das melhores condições de trabalho, já que foi construído de acordo com as nossas necessidades, o prédio nos proporciona maior integração entre a Central de Transplante, a Organização à Procura de Órgãos (OPO) e o Banco de Olhos da Paraíba, permitindo melhor controle e gerenciamento por parte da direção”, disse a gestora da Central de Transplante.

A Central de Transplante e a OPO funcionam 24 horas por dia, e estão abertas para receber notificações de óbitos, tanto de morte encefálica como após a parada cardíaca. O trabalho da Central de Transplante também se estende ao Programa de Educação Continuada, voltado para a sociedade, por meio de palestras educativas de esclarecimento sobre todo o processo de doação de órgãos e tecidos.

Para entrar em contato com a Central de Transplante e solicitar palestras, tirar dúvidas ou informar os óbitos há o e-mail: transplante@gmail.com e os telefones (83) 3244.6192 / 98845.3516. A nova sede fica na sala 10, do 1º andar do anexo do Trauma. O contato com a Organização à Procura de Órgãos (OPO) é pelo telefone: (83) 3216.5746.

Compartilha via Whatsapp

Sobre Redação AgoraPB

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.