Escola onde vigilante foi baleado ao tentar evitar assalto anuncia fechamento por insegurança

A escola Viva Vida, localizada no Bairro dos Estados, em João Pessoa, comunicou pais e alunos que vai encerrar as atividades neste ano, principalmente, por conta da insegurança na área. O sentimento de insegurança aumentou entre os diretores e donos da escola após a morte do segurança da escola, Fábio Alves de Lima, de 38 anos, baleado por assaltantes ao tentar impedir o roubo de uma mãe que estava com uma aluna em setembro deste ano.
Por meio de um comunicado, divulgado na segunda-feira (16), a instituição de ensino informou os pais de que não vai renovar as matrículas para 2018 e que só deve funcionar até o dia 20 de dezembro, após cumprir todo o calendário letivo deste ano.
“Infelizmente, este ano de 2017, tivemos um acontecimento que nos fez repensar o nosso caminhar e devido à falta de segurança pública, aliado a outros fatores, decidimos não renovar as matrículas para 2018”, informa a escola na nota. Procurada pela produção da TV Cabo Branco, a direção informou que não vai se pronunciar além do que foi dito no comunicado entregue aos pais.
Marivaldo Rodrigues, motorista e pai de uma aluna, lamentou o anúncio feito pela escola. Segundo ele, João Pessoa é uma cidade muito boa para morar, mas tem convivido com constantes casos de violência. Maria Lúcia Pires, dona de casa e mãe de aluna da escola, também comentou com pesar o anúncio do fechamento da escola.
Rafael Rabelo, advogado e pai de aluna, foi outro que falou com tristeza sobre o fechamento da escola. “Iriamos fazer uma matricular, mas agora vamos ter que correr atrás de uma outra escola com um sistema de ensino semelhante e com o preço compatível”, explicou. Fabiano Alves, irmão do segurança morto, que também trabalha na escola, comentou que o pensamento de fechar por conta da falta de segurança era recorrente.

“O caso do meu irmão apenas culminou com esse desfecho. Foi o último episódio para mostrar que não tinha como continuar. Meu irmão defendeu muito a escola, segurou muito a barra, mas infelizmente as condições de trabalho não ajudaram”, completou. A família do segurança segue aguardando a conclusão do inquérito.
O delegado que investiga o caso, Diego Garcia, informou que o caso segue sob investigação. O G1 procurou a Secretaria da Segurança e Defesa Social (Seds) para uma posição a respeito do fechamento da escola por falta de segurança. A assessoria informou que uma resposta deve ser enviada por email em breve.

O caso

Fábio Alves de Lima foi baleado no início da manhã do dia 1º de setembro, quando reagiu ao flagrar um assalto em frente a escola onde trabalhava como segurança. Fábio foi baleado na cabeça quando tentou frustar o assalto de um homem a uma mulher que deixava uma criança na escola, na Av. São Paulo, no Bairro dos Estados. Uma câmera localizada no lado oposto à escola captou toda a briga entre o vigilante e o assaltante.
O segurança chegou a ser socorrido pelo Samu e levado para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. Ele passou por procedimentos médicos de emergência, cirurgias, mas não resistiu ao ferimento e morreu na tarde do dia seguinte, 2 de setembro, no hospital.




G1


Compartilha via Whatsapp

Sobre Redação AgoraPB

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.