Justiça faz 1ª audiência com mulher que encomendou morte do irmão em padaria na PB



Acontece na tarde desta quarta-feira (27) na 2ª Vara Criminal do Tribunal do Júri, em João Pessoa, a primeira audiência dos réus no processo da morte do estudante de veterinária Marcos Antônio Filho em junho de 2016. A audiência, marcada para as 14h, deve ouvir todos os réus do processo, incluindo Maria Celeste de Medeiros Nascimento, irmã da vítima acusada de ser a mandante do crime.
Marcos Antônio Filho, que tinha 28 anos, foi baleado na cabeça no dia 4 de junho de 2016 durante um assalto forjado à padaria que era gerenciada pela família dele, no bairro Jardim Luna, em João Pessoa. Dois homens armados entraram na padaria, renderam os funcionários e clientes, roubaram o dinheiro do caixa e a motocicleta da vítima que foi baleada e fugiram.
Na audiência desta quarta-feira (27), além dos réus, testemunhas de acusação e de defesa também vão ser ouvidos pela juíza Francilucy Rejane de Sousa Mota. Entre as testemunhas estão os policiais civis que participaram das investigações que elucidaram o crime e identificaram Maria Celeste como mentora intelectual da morte do próprio irmão.
À época, a Polícia Civil afirmou que a mulher matou o irmão para gerir sozinha os bens da família, uma vez que seu pai estava morto e sua mãe, por problemas médicos, era representada legalmente por Maria Celeste Nascimento. O irmão, chamado pelos conhecidos como Marquinhos, desconfiou que a irmã estivesse se desfazendo dos bens da família sem consultar os parentes e começou a pressioná-la, fato que teria irritado Maria Celeste.

Além da irmã da vítima, outras cinco pessoas estão entre os réus do processo e também vão ser ouvidos nesta terça-feira. A namorada de Maria Celeste na época do crime, Werlinda Rainara da Silva, de 21 anos, que no dia do crime estava no caixa da padaria e segundo a polícia sabia dos planos de Maria Celeste. Nielson da Silva, de 38 anos, conhecido como Coroa, apontado como responsável por contratar os executores de Marcos Antônio Filho.
Severino Fernando Ferreira, de 37 anos, conhecido como Bino, estava na padaria no momento do crime. Ricardo de Sousa Ferreira, de 31 anos, conhecido como Henrique, foi o responsável pelo tiro que matou o universitário. Maria Celeste foi presa no dia 24 de junho e segue presa no presídio Júlia Maranhão, em João Pessoa, aguardando sentença.
Ainda de acordo com as investigações, Ricardo de Sousa Ferreira assumiu a autoria do tiro que atingiu a cabeça de Marcos Antônio Filho. No contato com os executores, Maria Celeste não contou que a vítima era seu irmão, mas um funcionário que estava roubando seu dinheiro. O suspeito conhecido como Henrique falou na época que se soubesse, teria matado Marcia Celeste no lugar do irmão.



G1
Compartilha via Whatsapp

Sobre Redação AgoraPB

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.