Emater orienta produção de hortaliças com hipotonia para uso racional de água

Agricultores paraibanos, com a recomendação da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), estão utilizando técnicas que ajudam no uso racional de água na produção de hortaliças, a exemplo da hidroponia, cada vez mais adotadas no semiárido paraibano.
Na região de Cajazeiras, o Governo do Estado, por meio da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater, vinculada à Secretaria do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, presta assistência técnica a outros dois projetos de hidroponia que ficam localizados nos municípios de Bom Jesus, São José de Piranhas e Carrapateira.
Um exemplo é o agricultor José Milton, no Sítio Sossego, no município Bom Jesus, no Sertão, que dois meses depois de implantado o projeto já se prepara para fazer a primeira colheita de alface. O plantio apresentou desenvolvimento satisfatório.
Nesta semana, o coordenador regional de Cajazeiras, Edilson Pereira, e o chefe do escritório da Emater local, Francisco Pedro de Oliveira, visitaram o projeto de cultivo de hortaliças pelo sistema de hidroponia, já se constatando o êxito do trabalho.
Inicialmente, os agricultores cultivam alface, mas planejam diversificar a produção de hortaliças utilizando esse mesmo sistema econômico no uso racional da água. A produção é comercializada nas cidades da região, sobretudo Cajazeiras. Alface e tomate são as culturas mais difundidas. Pode-se trabalhar com abobrinha, pimentão, pepino, morango, melão e plantas ornamentais.
“São projetos consolidados que estão mudando a vida das famílias envolvidas, e ressalte-se que o mercado de hortaliças é promissor, com produtos de boa qualidade”, comentou Edilson Pereira.  Lembrou que a tendência do mercado consumidor é para o seu crescimento, tendo em vista que a população está buscando produtos mais saudáveis, livres de pesticidas e agrotóxicos.
Ele destacou, ainda, que em pouco tempo constatou-se a melhora considerável das condições socioeconômicas da família envolvida no projeto. Isso é possível porque no processo de cultivo a predominância é da mão de obra familiar.
O baixo consumo de água, com a ocupação de pequenos espaços com estufa e o sistema removível são outras vantagens da hidroponia, que representa uma opção viável. Isso atende às exigências de alta qualidade, produtividade e mínimo desperdício de água e nutrientes (fertilizantes).
Outro benefício é a menor necessidade de controle fitossanitário, já que os produtos aplicados não sofrem lixiviação (extração ou solubilização dos constituintes químicos de uma rocha, mineral, solo) pela chuva, devido à proteção pela cobertura plástica é outra vantagem.
Nas temperaturas mais elevadas o uso do ambiente protegido, favorece o desenvolvimento das plantas, encurtando o ciclo das espécies cultivadas, as quais ficam menos tempo expostas a condições bióticas e abióticas.
Hidroponia é um cultivo limpo onde a planta recebe apenas a água que necessita e na dose correta: sol, apoio, água arejada e nutriente.

Secom
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.