Adiada 1ª audiência com acusada de encomendar morte do irmão em padaria de João Pessoa


Foto: (Walter Paparazzo/G1)

Foi adiada a audiência de instrução e julgamento dos envolvidos no assassinato do estudante de veterinária Marcos Antônio Nascimento Filho, que aconteceu dentro de uma padaria de João Pessoa, em junho de 2016. A nova audiência vai ser sexta-feira (29), às 8h, no 2º Tribunal do Júri do Fórum Criminal da capital. A irmã de Marcos, Maria Celeste de Medeiros, é acusada de planejar o crime.
O motivo do adiamento foi a renúncia do advogado dos acusados Severino Fernandes Ferreira, Nielson da Silva e Ricardo de Souza Pereira. Diante desse fato, a juíza titular da Vara, Francilucy Rejane de Sousa Mota Brandão, que presidia a audiência, designou o defensor público Rodrigo Mendonça, que solicitou o adiamento por desconhecer as provas trazidas aos autos.
Marcos Antônio Filho, que tinha 28 anos, foi baleado na cabeça no dia 4 de junho de 2016 durante um assalto forjado à padaria que era gerenciada pela família dele, no bairro Jardim Luna, em João Pessoa. Dois homens armados entraram na padaria, renderam os funcionários e clientes, roubaram o dinheiro do caixa e a motocicleta da vítima que foi baleada e fugiram.
Na audiência de sexta-feira (29) serão ouvidas, primeiro, as testemunhas de acusação e, em seguida, as de defesa. Por fim, se todas comparecerem e forem ouvidas, será realizado o interrogatório aos oito réus (Maria Celeste de Medeiros Nascimento, Werlida Raynara da Silva, Nielson da Silva, Ricardo de Souza Pereira, Jairo Cesar Pereira, Robson de Lima Ramos, Walber do Nascimento Castro e Severino Fernandes Ferreira). Representando o Ministério Público, atuará o promotor Alexandre Varandas.
Relembre o caso
Consta, nos autos da Ação Penal, que Werlida Raynara da Silva foi denunciada junto a Maria Celeste de Medeiros e mais seis pessoas, pela prática, em tese, do crime de homicídio praticado contra Marcos Antônio Nascimento Filho, assassinado mediante disparos de arma de fogo, no interior de uma padaria situada no Bairro Jardim Luna.

Consta, também, na denúncia, que Robson de Lima Ramos, foi responsável por fornecer contato telefônico da pessoa chamada Severino, contratado por Maria Celeste para assassinar o irmão. Marcos Antônio teria descoberto que a irmã estava dilapidando os bens herdados do patriarca da família, pai de ambos. Ela, temendo ser entregue à polícia, ‘orquestrou’ a morte do irmão, visando simular um latrocínio.



G1
Compartilha via Whatsapp

Sobre Redação AgoraPB

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.