SES recomenda intensificação de ações e cuidados contra as hepatites virais

As ações voltadas à prevenção, diagnóstico precoce e tratamento de portadores das hepatites virais integram as recomendações da Secretaria de Estado da Saúde (SES) para marcar o transcurso, nesta sexta-feira (28) do Dia de Luta contra as Hepatites Virais.
O Governo do Estado mantém o cotidiano de planejamento no combate à doença, e enfatiza nesta data ações educativas, disponibilizando quantidades extras de testes rápidos das hepatites, sífilis e diagnóstico de HIV; de vacina contra hepatite B; preservativos e material educativo (folders, cartazes, faixas e camisetas), dentro da mobilização ‘Julho Amarelo’.
Além disso, vem participando em eventos de iniciativa municipal, a exemplo da jornada promovida pela Secretaria Municipal de Saúde de Santa Rita, onde contribuiu com a ação ‘Fique Sabendo’, por meio de testagem, realizada por profissionais do Complexo Hospitalar de Doenças Infecto Contagiosas Clementino Fraga, e aula sobre hepatites virais, ministrada pela gastroenterologista do Clementino, Juliana Barbosa, da qual participaram os profissionais de Santa Rita que trabalham na atenção básica, serviço hospitalar, Especializado e da gestão.
“Os municípios demonstraram interesse em realizar atividades ligadas ao tema, considerando que houve aumento da procura por material educativo, insumos, vacinas, entre outros. A equipe técnica da Ses, diretamente voltada ao planejamento e suporte da logística, comemora a iniciativa destas cidades”, disse a gerente executiva de Vigilância em Saúde, da Ses, Renta Nóbrega.

Renata lembra que o trabalho da Ses é contínuo, porém, após a intensificação das ações, sempre gera um aumento de demanda, já que eleva o número de diagnóstico e, consequentemente, a procura do serviço especializado.

O Clementino é o serviço estadual de referência no acompanhamento e tratamento dos pacientes portadores de Hepatites Virais B e C. O serviço possui equipe multiprofissional, médicos especialistas em Hepatologia, gastroenterologistas, apoio diagnóstico (laboratorial e de imagem) e atendimento hospitalar.

Através do Cedmex, a Ses dispõe de uma farmácia específica para dispensação de medicamentos destinados ao tratamento das Hepatite B e C, instalada também no Clementino Fraga. Nela, estão cadastrados e sendo atendidos cerca de 1600 usuários que realizam tratamento para Hepatite B. Para Hepatite C, de julho de 2016 a julho deste ano, realizaram o tratamento mais de 320 pacientes. Destes, 95% conseguiram negativação do vírus da Hepatite C, o que é denominado de cura, de acordo com o Protocolo do Ministério da Saúde.

“A Secretaria de Estado da Saúde ainda realizou, no mês de julho, ações voltadas aos usuários portadores de Insuficiência Renal Crônica e qualificação, em teste rápido, para a 8ª Gerência Regional de Saúde. Além disso, estamos consolidando um vídeo-aula com o objetivo de ampliar a oferta de qualificação sobre a temática nos municípios”, informou a chefe do Núcleo de Hepatites Virais, da Ses, Rosa Monteiro.
Ações no Clementino Fraga
Nesta sexta (28), as ações de saúde acontecem no Hospital Arlinda Marques, em um evento intitulado ‘Julho Amarelo’, onde a equipe do Clementino Itinerante disponibilizará o teste rápido para as Hepatites B e C.
No sábado, dia 29, das 08h às 12h, os serviços oferecidos à população pelo Clementino Itinerante serão em parceria com o Instituto Embelleze, no Parque da Lagoa. A equipe vai disponibilizar as testagens das Hepatites B e C, sífilis e o teste rápido para detecção do HIV (vírus da Aids).
A diretora-geral do Clementino Fraga, Adriana Teixeira, destacou a importância de levar os serviços a um número cada vez maior de pessoas. “Somos referência estadual no combate às hepatites virais e outras doenças infectocontagiosas e temos o dever de disponibilizar esses serviços de excelência em saúde pública para toda população”, disse.
Números
Em 2016, o Brasil registrou 42.830 casos de hepatites virais. Os dados fazem parte do novo Boletim Epidemiológico de Hepatites, que pode ser acessado no site indicadoreshepatites.aids.gov.br. Entre os anos de 2007 a 2017, foram registrados, em toda Paraíba, 2.878 casos de Hepatite A; 1.235 de Hepatite B e 1.526 de Hepatite C, sendo 535 casos confirmados e 991 contatos com o vírus.
As Hepatites são causadas por um vírus que ataca o fígado, de forma lenta e silenciosa, sem sintomas físicos para o portador. O vírus, quase sempre, destrói o fígado da pessoa contaminada, ocasionando, na maioria das vezes, cirrose e câncer hepático. A evolução do dano hepático é diferente para cada indivíduo, podendo levar até 20 anos para a manifestação da doença.
Panorama B e C – A transmissão da hepatite B se dá por sexo desprotegido e sangue contaminado. A vacina disponível no SUS teve sua cobertura ampliada no ano passado, é a melhor estratégia de prevenção contra a doença.
Já com relação à hepatite C, pode ser transmitida pelo contato com sangue contaminado (transfusão de sangue e hemoderivados, sexo desprotegido e compartilhamento e objetos de uso pessoal como agulhas de tatuagem, alicates e tesouras). Não existe vacina contra a hepatite C, mas o tratamento é eficaz e disponível no SUS.

Secom
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.