Prefeitura estimula produção de artesanato como opção para superar crise econômica

O artesanato, além de nunca sair de moda, transforma sonhos em realidade, vence os tempos de crise, muda comportamentos e supera a falta de oportunidades.  É por causa disto que a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) mantém o projeto ‘João Pessoa Artesã’, cuja coordenação é da primeira-dama da cidade, Maísa Cartaxo. Além de resgatar a identidade cultural da Capital e fomentar a economia sustentável, o projeto é a oportunidade para ampliar a capacidade de geração de emprego e renda, diferenciando-se da realidade da maioria dos artesãos do Brasil e estimulando a profissionalização.

Uma pesquisa realizada pela plataforma digital Clube do Artesanato, divulgada nesta terça-feira (12), mostrou que a atividade da produção artesanal de objetos proporciona um complemento para a renda e é ainda um trabalho informal para a maioria dos artesãos. No entanto, o levantamento, realizado com 3.649 entrevistados de todo o país nos meses de maio e junho, mostrou que apenas 17,7% dos artesões são legalizados como microempreendedor individual (MEI), a exemplo do projeto Sereias da Penha.

Ao longo de mais de três anos, a PMJP, por meio do projeto ‘João Pessoa Artesã’, tem fortalecido o artesanato paraibano, capacitando e envolvendo pessoas de várias comunidades para gerar o seu próprio negócio ou se inserir no mercado de trabalho. Um dos casos de maior sucesso da geração de renda através do artesanato é o grupo Sereias da Penha.

Sucesso - Donas do próprio negócio e apresentando o artesanato de João Pessoa para o mundo inteiro, através da confecção de peças e acessórios produzidos com escamas de peixe, as Sereias da Penha ganharam destaque nacional. Pioneiro em João Pessoa, o projeto ‘Sereias da Penha’ se consolidou em pouco mais de um ano, ganhou notoriedade em todo o País e já é reconhecido no exterior. As artesãs já receberam encomendas da Europa e Estados Unidos.

Para a coordenadora do João Pessoa Artesã (JPA) e primeira-dama do Município, Maísa Cartaxo, o Sereias da Penha mostrou que é possível reescrever histórias e transformar vidas. “Esse projeto nos enche de orgulho, pois empodera as mulheres, gera autoestima, renda, inclusão social e sustentabilidade. Tudo isso com o desenvolvimento do talento humano com base na economia criativa”, afirmou.

O sucesso do projeto Sereias da Penha deve-se ao fortalecimento da parceria entre a PMJP, por meio do programa João Pessoa Artesã com o Instituto Federal de Educação (IFPB) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que possibilitou a inclusão social com a apropriação da cultura local na comunidade praia da Penha.

Mostra de artesanato – Um dos pontos altos do incentivo à produção e comercialização da produção artesanal, por parte da PMJP, aconteceu no mês de junho com a realização da I mostra de artesanato de João Pessoa. O evento reuniu cerca 60 expositores, dos quais mais de 40 são referenciados pelo João Pessoa Artesã.

A mostra expôs e comercializou produtos artesanais de diversas tipologias, como cerâmica, madeira, rendas, bordados e biojoias. “Estamos sempre preocupados em apresentar resultados, passamos o ano trabalhando, investindo e ampliando o leque de capacitação para os cadastrados no João Pessoa Artesão. Também estamos sempre buscando espaços de comercialização daquilo que é produzido”, reforçou a coordenadora do João Pessoa Artesão, a primeira-dama do Município, Maísa Cartaxo.

Secom
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.