Após 15 de dias de lançado, projeto ‘Chega Junto’ já atende seis pessoas em situação de rua

Após 15 dias da inauguração da casa na qual funciona o projeto ‘Chega Junto’, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) já atente seis pessoas, número que deve subir para oito até o final da semana. O projeto visa contribuir para a inserção social de usuários de drogas e pessoas em situação de rua com ações intersetoriais de promoção da cidadania, através da qualificação, trabalho, geração de renda, esporte, cultura e lazer.

O projeto está incluído no Plano Municipal de Políticas contra Drogas, construído pela Secretaria de Segurança Urbana e Cidadania (Semusb), e é dedicado às pessoas de alta vulnerabilidade social moradores de rua que fazem uso de álcool e drogas. Na rotina dos moradores estão visitas frequentes a serviços da PMJP como o Caps, Centro Pop.

O coordenador da Casa, Mário de Paula, explica que o local funciona como a nova moradia de pessoas que estão em situação de rua. “Nossos agentes fazem a triagem das pessoas, que também podem ser encaminhadas ao nosso serviço. Aqui eles têm acesso a todos os serviços de atenção psicossocial, além de oficinas no Centro Cultura de Mangabeira. Tudo isso é feito com o objetivo de devolver dignidade e cidadania a esses moradores”, revelou.

O projeto - o 'Chega Junto' é uma  parceria do Ministério da Justiça com a PMJP, onde 30 pessoas moradoras de ruas usuárias de drogas terão a oportunidade  de ter um lar, moradia, viver com dignidade, recebendo cursos profissionalizantes. O trabalho envolve dez secretarias com esse compromisso de resgatar as pessoas, dar qualidade de vida e ajudá-las.

O investimento para o programa é de R$ 800 mil, e conta com parceria do Ministério da Justiça do Governo Federal, através da Secretaria Nacional de Políticas Públicas para Drogas (Senad-MJ) e com o apoio técnico da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz/MS).

A PMJP contratou seis ‘agentes redutores de danos’. Esses profissionais serão os responsáveis pela triagem das pessoas em situação de rua que integrarão o projeto. Uma vez que essas pessoas venham a aderir ao programa, elas participarão dos cursos profissionalizantes e receberão uma bolsa no valor de R$300 mensais, com o incentivo voltado para o trabalho e geração de renda.

Secom
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.