Profissionais da Rede Municipal de Saúde orientam sobre cuidados com doenças de inverno

A chegada do inverno faz despencar as temperaturas e acentua a baixa umidade do ar. Além de trazer temperaturas mais amenas, a estação, que oficialmente começa na sexta-feira (21), pode desencadear uma série de doenças comuns ao período. Gripes e resfriados podem ser recorrentes, porém há outras doenças mais comuns, que no inverno têm sua fase de proliferação.

Isso acontece porque elas podem ser causadas por micro-organismos, como vírus, fungos e bactérias, e para fugir do frio é frequente encontrar aglomerações de pessoas em locais fechadas, facilitando assim a transmissão de tais agentes. As reações alérgicas também dão as caras no inverno, isso porque em ambientes fechados é possível encontrar vários estímulos alérgicos.

Com tantos fatores de risco, uma cena comum é o aumento na busca por tratamentos e auxílio médico neste período. A Prefeitura Municipal de João Pessoa, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), orienta a população sobre quais cuidados preventivos e quais unidades de saúde procurar.

Alergias e infecções - A umidade é uma das grandes vilãs do período. Ela é responsável pela geração do mofo que resulta em quadros alérgicos e infecciosos. A diretora do Hospital Municipal do Valentina, Carmem Gadelha, esclarece que as crianças são as mais vulneráveis aos quadros de alergia. “As crianças com menos de 2 anos são mais propicias a desenvolver quadros virais, já as maiores de 2 anos desenvolvem quadros asmáticos. Além dos quadros virais e asmáticos é possível também desenvolver quadros respiratórios crônicos, que podem refletir em uma pansinusite, uma inflamação nos seios da face”, destacou.

Uma das formas de prevenção das doenças respiratórias é evitar aglomerações e lugares pouco arejados. Também é importante deixar as janelas abertas para que a casa seja ventilada, principalmente quando há alguém doente no local já que o ambiente arejado e a troca de ar ajudam a diminuir a quantidade de vírus e bactérias circulando.

USF – As Unidades de Saúde da Família (USFs) trabalham para atender às necessidades básicas de prevenção e promoção à saúde da população. A função da USF é prestar assistência contínua à comunidade, acompanhando integralmente a saúde da criança, do adulto, da mulher, dos idosos, enfim, de todas as pessoas que vivem no território sob sua responsabilidade.

Devem procurar as Unidades de Saúde casos que necessitem de assistência básica com consultas clínicas e que não precisem de  assistência de média ou alta complexidade, como tosse, resfriado, febre, diarréia e vômito (que não ocasionou desidratação), coceira no corpo, dores nas articulações, dores na garganta sem febre, verificação de pressão e verificação de taxas de glicemia. Os casos de suspeita de dengue também são atendidos nas USFs.

UPAs – As Unidades de Pronto Atendimento são referências para atendimentos de ocorrências de média complexidade, e podem evitar que pacientes sejam encaminhados aos prontos-socorros dos hospitais. As UPAs são equipadas para socorrer pessoas com problemas de pico hipertensivo, vômito e diarréia intensa (com quadros de desidratação), febre alta, fraturas, cortes, infartos e outras ocorrências de média complexidade.

Serviço – Na Rede Municipal de Saúde, as crianças alérgicas e com problemas respiratórios são atendidas no Hospital do Valentina, com atendimento 24 horas por dia em casos de urgência e emergência. Para o acompanhamento, as consultas devem ser marcadas na Unidade de Saúde da Família (USF) onde a criança é cadastrada.

Já os adultos, em caso de urgência e emergência, devem seguir para as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) Oceania, em Manaíra, ou Célio Pires de Sá, no Valentina. Para o acompanhamento, assim como as crianças, devem procurar uma USF, podendo ser atendidos na unidade ou encaminhados pelo clínico geral para atendimento de alergologista ou pneumologista no Centro de Atenção Integral à Saúde (Cais) de Jaguaribe.

Veja as principais doenças do inverno:

Resfriado – gripes e resfriados têm sintomas semelhantes, embora sejam doenças diferentes. O resfriado geralmente dura de quatro a cinco dias, mas pode se prolongar por até duas semanas, causando coriza, obstrução das vias respiratórias, febre baixa, espirros e dor de garganta

Gripe – é causada pelo vírus Influenza e, além dos sintomas do resfriado, causa febre alta e abrupta, dores no corpo e fadiga. Pode provocar complicações se não for diagnosticada e tratada corretamente.

Alergias – são causadas por reações do organismo a diversos elementos, como pelos de animas, mofo, poeira, perfumes etc. Causam inúmeros sintomas, como espirro, coceira e tosse.

Rinite – causada por irritação ou inflamação da mucosa do nariz, é uma das doenças alérgicas mais comuns. Causa espirros, coriza, coceira e entupimento do nariz

Sinusite – é a inflamação dos seios nasais, que são cavidades no crânio em torno do nariz. Provocada por alergias ou infecções por vírus ou bactérias, causa dor de cabeça, pálpebras inchadas, nariz entupido, secreção nasal e dor nos olhos.


Secom JP
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.