Procon-JP dá dicas para quem recebe a primeira parcela do décimo-terceiro em junho

Você que recebe a primeira parcela do décimo-terceiro no meio do ano já sabe o que fazer com esse dinheiro extra? Vai viajar, comprar roupas e calçados novos para as festas juninas? Ou adquirir aquele tão sonhado aparelho celular de ultima geração? Para orientar ao consumidor, a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP) está dando dicas de como utilizar esse dinheiro sem aumentar as dívidas, adquirindo produtos e/ou serviços de que não necessita com tanta urgência.

O secretário do Procon-JP, Ricardo Holanda, alerta ao consumidor para ficar atento e não usar essa renda a mais apenas nos festejos juninos ou em viagens de férias escolares do mês de julho ou ainda comprando algo só por vaidade. “Estamos dando dicas ao consumidor que recebe a primeira parcela do 13º salário por estes dias, de como ele pode usar esse dinheiro extra da melhor maneira possível”.

Ele salienta que o consumo, hoje, é inerente ao dia a dia das pessoas. “É o desejo de ter que movimenta a economia, daí a publicidade de ofertas de bens e serviços sempre expostas em nossas mentes, com mensagens sedutoras que nos fazem querer ter algo até de que não necessitamos. Isso é uma realidade e o consumidor deve ter cuidado para não sucumbir às tentações”, aconselha Ricardo Holanda.

Dívidas – A primeira dica do secretário do Procon-JP é que as pessoas usem qualquer dinheiro extra para quitar, ou pelo menos reduzir, o volume das dívidas. “Quem tem dívida no cartão de crédito deve utilizar esse dinheiro para quitar essa dívida, ou pelo menos reduzir o valor. Com os juros altos praticados pelas operadoras desse serviço, não vale à pena rolar o débito. Esse pode ser um bom emprego para quem recebe a metade do 13º salário no meio do ano”, orientou o secretário.

À vista – Mas, e quem pretende comprar produtos que está necessitando, ou mesmo está a fim de trocar um bem que já está se tornando obsoleto? O titular do Procon-JP adianta que, caso a compra seja inevitável, o ideal é realizá-la à vista, porque pode até se barganhar e conseguir um desconto real. “Se essa compra for indispensável, aconselhamos que seja feita à vista porque, em parcelamento de cartão, os juros são altos e a pessoa acaba fazendo um novo débito que poderia ser evitado”.

Aplicação – Ricardo Holanda ainda acrescenta que, se o consumidor tem condições de guardar o 13º, deve fazê-lo sem pensar duas vezes. “Se esse dinheiro não tem um destino para ser gasto, o aconselhável é que seja colocado na poupança e, em caso de um valor mais alto, uma aplicação financeira que tenha um maior rendimento. Quem não puder guardar todo o valor recebido, pode ainda reservar uma parte como precaução para uma futura emergência”.

O secretário faz um alerta final: “Voltamos a repetir, se houver dívida com cartão de crédito, é melhor quitá-la do que guardar esse dinheiro, porque nenhuma aplicação bancária tem juros maiores do que aqueles que são cobrados pelo cartão de crédito”.  

Postos de atendimento do Procon-JP
Sede - segunda-feira a sexta-feira: 8h às 14h na sede situada na Avenida D. Pedro I, nº 473, Tambiá
Telefones: segunda-feira a sexta-feira das 8h às 14h: 0800 083 2015, 2314-3040, 3214-3042, 3214-3046
MP-Procon - segunda-feira a sexta-feira: 8h às 17h na sede situada no Parque Solon de Lucena, Lagoa, nº 300, Centro

Secom JP

Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.