População de João Pessoa conta com rede de imunização para se proteger de doenças

Nesta sexta-feira, 9 de junho, é comemorado em todo o país o Dia Nacional da Imunização. O objetivo da data é conscientizar a população sobre a importância de manter todas as vacinações em dia, diminuindo a probabilidade de contrair diversas doenças.

Em João Pessoa, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) possui uma rede de imunização, disponibilizando vacina para todos os públicos, dentro de um calendário vacinal. Os locais que fazem parte da rede são: o Centro Municipal de Imunizações (CMI), Centros de Atenção Integral à Saúde (Cais), Unidade Básica de Saúde (UBS) de Mandacaru, além de todas as unidades de saúde da família (USF).

As vacinas são aplicadas logo nos primeiros dias de vida de um bebê. Ao nascer, a criança recebe a dose de BCG e hepatite B e, ao longo de sua vida, deve obedecer ao calendário de vacinação para se proteger de doenças como gripe, tétano, difteria e pneumonia. A SMS fornece as vacinas tanto para os nascidos no serviço público, quanto no privado.

A chefe do setor de Imunização da SMS, Chiara Dantas, destaca que a vacina é a forma mais eficaz de prevenção e deve ocorrer ainda na primeira infância. “É muito importante que os pais sigam toda a programação de vacina do filho, porque a vacina é uma arma contra as doenças transmissíveis”, afirma.

Na Rede Municipal de Saúde são disponibilizadas diversas vacinas como a Tríplice Viral, Meningocócica C, Hepatite A, Hepatite B, BCG, DTP, Rotavírus, antirrábica, febre amarela, e BCG.

Para proteção dela e do filho que vai nascer, a estudante Michelline Mendes, gestante de 33 semanas, está seguindo todo o calendário vacinal. Ela esteve no CMI para tomar a vacina DTPA, que protegerá ela e seu bebê no momento do parto contra coqueluche e tétano. “Chegando aqui eu recebi a orientação sobre a vacina que devo tomar e não ter complicações futuras”, afirmou.

De posse do cartão de Lindemberg Soares, de sete anos, a dona de casa Jailania Soares levou o filho para tomar a vacina antirrábica. “Meu filho, brincando, pisou no rabo de um gato sem querer e foi mordido. Ele recebeu o atendimento de urgência, no momento, mas agora estamos recebendo esta vacina que vai proteger sua saúde de maneira definitiva. O atendimento foi ótimo e a próxima vacina dele será apenas em 2024”, conta.

O gerente administrativo do CMI, Jessé Menezes, alerta que é muito importante que o cidadão porte seu cartão nacional de vacinação, assim como outros documentos de identificação, quando procurar o serviço. “Se alguém sofre um acidente e não pode comprovar as vacinas que já recebeu ao longo da vida, ele tem que tomar todas as vacinas para que haja certificação de que não estará em risco”.

Febre amarela – Quem vai viajar para áreas com recomendação para a vacina de febre amarela, deve procurar o Centro de Imunização Municipal até 10 dias antes da data da viagem. O serviço fica localizado no bairro da Torre e funciona de segunda à sexta-feira, das 13h às 15h.

Jessé Menezes afirma que o período é necessário ao desenvolvimento da imunidade. Ele orienta que o usuário leve comprovante de que vai viajar a uma das áreas em questão e documentos pessoais, incluindo o cartão nacional de vacinação.

A professora Cinthia Brandão e sua filha Ana Júlia, de 12 anos, farão uma viagem a Cabo Verde, na África, e se anteciparam na prevenção da febre amarela. “O atendimento foi bem rápido, nem foi preciso fazer agendamento”, conta ela, que garantiu que sua filha está com todas as vacinas em dia. “A última que ela tomou foi de HPV”, explica.

Mudanças – O Ministério da Saúde realizou algumas modificações nos calendários de vacinação. Segundo Chiara Dantas, as principais alterações foram a mudança da idade limite de dois anos para quatro anos para tomar a dose contra hepatite A, meningite e pneumonia.

“A faixa etária de crianças com até cinco anos de idade é a que mais adoece. Portanto, esta mudança é para incluir aqueles que não foram vacinados na época certa”, explica ela.

Campanha contra a gripe – Está previsto para esta sexta-feira (9) o encerramento da Campanha Nacional de Imunização Contra a Gripe. A meta do Ministério da Saúde é imunizar 90% da população que integra os grupos prioritários. São eles: crianças de seis meses até menores de cinco anos, pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), integrantes do sistema prisional, professores (portando o contracheque para comprovar a profissão) e pessoas com comorbidades (necessário apresentação da prescrição médica).


Secom JP
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.