Casal se conhece no trânsito e casa em menos de 20 dias em Campina Grande

O semáforo indicou sinal vermelho. Apenas alguns segundos com os carros um ao lado do outro no Bairro da Liberdade, em Campina Grande, no Agreste de Paraíba, foram suficientes para surgir o interesse. Paulo César Alves Bezerra, de 47 anos, começou a pedir o número de Jane Carla Sales, de 32 anos. Ele insistiu no trajero da Odon Bezerra até as proximidades de um shopping no bairro do Catolé, um percurso de cerca de 1,5 km. Ela desceu do carro, entregou o número e menos de 20 dias depois eles estavam casados.
A primeira vez que se viram foi no dia 25 de dezembro de 2016. Em janeiro deste ano, após uma viagem ao Pará, quando voltaram para casa a secretária pediu o comprador em casamento. Ele aceitou e a união completa seis meses em 25 de junho. “Em 2 de janeiro viajamos para o Pará. Depois de oito dias voltamos. Ele morava só e eu com o meu filho. Fui, tomei coragem, e pedi ele em casamento. Eu perguntei: ‘quer casar comigo?’. E ele respondeu: ‘quero, estou doido para me casar’. Então, ele se mudou para a minha casa”, contou Jane Carla.

Os dois dizem que o interesse foi mútuo enquanto estavam parados no sinal da Odon Bezerra. Paulo César não se intimidou com o fato de a mãe de Jane estar no carro com ela. Enquanto ele pedia o número pela janela, ela disse que em determinado momento tomou coragem e decidiu descer do carro para entregar. “Ela desceu do carro, parou na minha frente e me entregou o número do telefone dela. Aí eu disse: ‘é essa a mulher que eu quero’”, confirmou Paulo.


Para ela, a sensação é como se os dois se conhecessem há muito tempo. “Quando eu o vi naquele semáforo parecia que eu já o conhecia há anos, mas na verdade eu nunca tinha visto. Hoje temos uma sintonia um com o outro incrível”, afirmou Jane.

Após o pedido de casamento, Paulo se mudou para a casa de Jane. Para eles, foi melhor ficar na casa dela, porque a secretária tem um filho. Enquanto estava de mudança, o comprador desenhou as alianças que seriam usadas pelo casal. Após alguns dias, eles viajaram novamente para o Pará. Paulo mandou confeccionar as alianças e surpreendeu Jane quando estavam no hotel.

Paulo explicou que as curvas da aliança representam “os altos e baixos que existem em toda relação”. “Os cortes são a realeza onde o brilhante encontra a pureza do nosso relacionamento”, disse o comprador.


G1
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.