Saiba o que fazer para escolher a carreira certa depois que passar no Enem

Para boa parte dos estudantes do ensino médio, ter que definir uma profissão aos 17 anos é um processo estressante e injusto. Além de já estarem passando por todas as mudanças hormonais desconfortáveis da adolescência, esses alunos ainda sofrem com a pressão dos pais, familiares e da sociedade para definirem suas carreiras. Dessa maneira, muitos desses estudantes, acabam fazendo escolhas erradas e optando pelas profissões por motivos errados. Infelizmente, essas escolhas ruins acabam afetando o desempenho profissional deste estudante no futuro.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Ministério da Educação, cujo resultado foi divulgado no dia 04/10/2016, o desempenho das instituições do estado do Rio de Janeiro no Enem 2015 não foi satisfatório. Entre as 20 melhores do país, apenas três são cariocas e entre as 100 melhores, somente 17 são do estado do Rio - todas são particulares. Quando se trata das escolas públicas e estaduais, a primeira a aparecer no ranking do Enem, ocupa a posição 183º.

Segundo a coach vocacional e de carreiras, Érika Ferrari, outro fato agravante entre as escolas do Rio de Janeiro, é a falta de apoio emocional aos vestibulandos “Muitas vezes, só estudar e saber a matéria não é suficiente para ir bem em uma prova. As escolas, tanto da rede pública, quanto particular, não oferecem nenhum suporte vocacional e emocional aos alunos durante esse período. O candidato já se encontra em uma pressão enorme e o nervosismo compromete o desempenho na hora da prova”, afirma a coach.

A especialista separou 5 dicas para auxiliar o candidato ao vestibular à acertar na escolha da carreira - o fator número 1 que os mantém acordados à noite. Confira:

1. Autoconhecimento: “Primeiramente, a pessoa precisa se conhecer. Pois não adianta definir o que você quer, se você não sabe quem é. Isso significa, alinhar suas crenças, princípios, propósito de vida e valores. Reflita e dê uma olhada bem para dentro de você e tenha essas questões respondidas. É muito importante, porque só assim você irá identificar qual carreira tem a ver contigo. É uma questão de vocação. Quando você se conhece, você entende qual é o seu valor e qual o valor que você busca. É um conhecimento tão profundo e particular, que só isso te levará a sua felicidade”, comenta Érika.

2. Lidar com a pressão familiar: “Essa época é estressante para todo mundo. Os filhos se desprendem dos pais para estudar e ficam mais independentes. Por mais que fiquem preocupados, os pais não podem tentar influenciar a decisão dos filhos. Muitas vezes os pais estão no mercado de trabalho e acham que a sua carreira é a melhor do mundo, assim como qualquer outro profissional feliz com o seu trabalho. Mas eles precisam entender que o seu tempo já passou e os filhos precisam impor isso também. Os pais tentam ajudar, mas não sabem orientar da forma como deveriam e isso pode acabar atrapalhando e causando ainda mais pressão na escolha do adolescente”, argumenta a coach. 

3. Definir os objetivos: “Depois de saber quem você é, é hora de traçar um plano claro e objetivo do que você quer para sua vida. A forma de fazer isso é visualizar o seu futuro e pensar sobre o que você gostaria de estar fazendo naquele momento, o que você quer ter e ser e o que ele quer alcançar financeira e emocionalmente. Senão, ficará buscando e não terá objetividade. É necessário ter o futuro definido para ter direção”, diz a especialista.

4. Ter foco: “Dar o máximo de si, se organizar e ter uma definição clara para poder correr atrás do que ele quer, é motivador. Você sempre precisa se sobressair e surpreender no que faz e para tal, você sempre precisa fazer mais e se doar. Mas é preciso encontrar prazer e felicidade nisso, só assim você consegue manter o foco e a direção, para estudar, se dedicar e atingir o seu objetivo sem desistir no meio do caminho. Por isso é tão importante saber quem você é. A sua carreira não deve parecer uma obrigação, desde o início”, aconselha Érika.

5. Valorizar as conquistas: “Se passar no vestibular, comemore! Saia com a família, os amigos, dê uma festa. E faça disso um hábito, de sempre compartilhar e aproveitar com outras pessoas as suas conquistas. Não adianta nada trabalhar tudo e não aproveitar. E principalmente, sirva de inspiração para alguém”, afirma a especialista.

Ainda de acordo com Érika, para os alunos que vem tendo muita dificuldade com o processo do vestibular, o coach vocacional pode ajudar, e muito “Você pode ser o que você quiser, desde que desenvolva as habilidades para tal. A ferramenta DISC é muito utilizada no coaching e traça o perfil comportamental da pessoa, seus potenciais e limitações, baseados no seu comportamento. E isso direciona a pessoa na busca de seus objetivos, porque ela sabe as características que precisa desenvolver para ser quem ela quer ser. É sempre muito melhor e mais feliz quando você trabalha com algo que tem tudo a ver com a sua essência e competências.”, conclui a coach.

Fonte:Portal Correio
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.