Dois homens são presos suspeitos de faturar R$ 200 mil em fraudes na PB

Dois homens foram presos na tarde deste sábado (8) suspeitos de faturar mais de R$ 200 mil na emissão de cheques bancários fraudulentos e compras indevidas de eletrônicos, em João Pessoa. De acordo com a Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), mais dois homens são suspeitos de fazer parte da associação criminosa e são considerados foragidos pela Polícia Civil.
A denúncia foi realizada no início da tarde dessa sexta-feira (7). Segundo informações do delegado da DDF, Lucas Sá, um depósito de construção foi negociado por meio da internet pelo valor de R$ 30 mil, confirmando o pagamento mediante a emissão de três cheques pré-datados. No entanto, os suspeitos conseguiram convencer a vítima a entregar a administração da empresa antes que o pagamento fosse efetuado. Dessa forma, os quatro homens permaneceram aproximadamente 45 dias à frente da empresa.
Com a demora do pagamento, a vítima foi até a empresa para solucionar as pendências, mas encontrou o local fechado e não conseguiu mais nenhum contato com os suspeitos.
As informações da DDF dão conta que a vítima conseguiu entrar em contato com o contador da empresa, quando foi informada da existência de um débito de valores superiores a R$ 53 mil em compras realizadas com a utilização do CNPJ da empresa durante o período em que esteve sob administração dos suspeitos.
Além do prejuízo no valor da negociação da empresa e das compras indevidas, somando aproximadamente R$ 83 mil, a vítima informou à DDF que foram subtraídos diversos objetos da empresa, além de um talão de cheques em branco, que podem estar sendo repassados de maneira fraudulenta ao comércio e resultando em um prejuízo ainda maior. As denúncias indicam que a associação criminosa emitiu dezenas de cheques bancários no comércio de João Pessoa nos último 45 dias, ultrapassando um prejuízo de R$ 200 mil.
A equipe da DDF identificou quatro suspeitos, mas apenas dois foram presos. Um deles, de 21 anos, foi o responsável pela emissão dos cheques bancários utilizados na negociação inicial da empresa. Ele já responde por dois processos criminais pelo crime de estelionato e foi preso em flagrante na sua casa, localizada no bairro do Geisel.
O outro suspeito, de 28 anos, foi preso no bairro do Bessa e é responsável por apresentar os supostos compradores da empresa à vítima, além de atuar como gerente do depósito durante os dias em que os suspeitos estiveram na administração. A polícia apreendeu ainda um veículo com placa do estado de Pernambuco sem a documentação necessária.


Fonte:G1
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.