O CLOSET DE MARCELA VERSUS O GOVERNO TEMER

Nada de cores sóbrias! De sobriedade já basta o temeroso governo de seu marido regado a trâmites duvidosos. Marcela parece não ter nada a temer! Em um período que a política está fragilizada e sem respostas contundentes a apresentar, o lifestyle da esposa de Temer parece assegurar páginas de noticiários face a um país dilacerado em meio a políticas fraudulentas.

Os tons claros e pastéis ditam a moda da agora primeira-dama do país. Junto ao seu jeito discreto, o empoderamento não é unicamente o de sua feminilidade, mas do status recém-adquirido às custas de panelaços que serviram de midiatização para alavancar um pseudopoder.

Seja o seu perfume preferido ao calçado que veste a primeira-dama do Brasil, às críticas elevadas a Marcela não costumam ser tendenciosas, mas neutras e pálidas tão quanto as cores que costuma vestir.

A clássica aparição já como primeira-dama ao lado do agora presidente do Brasil Michel Temer no 7 de setembro rendeu enxurradas de críticas e apresentações ao discreto estilo escolhido por Marcela.  O vestido branco até foi alvo de comentários de que a cor representaria a transparência do Governo Temer e seus aliados. Se essa realmente foi a tentativa, a frustração se fez presente junto as inúmeras vaias direcionadas ao presidente e a legitimidade e transparência de seu governo.

Não é de hoje que a beleza feminina é exaltada e acaba tomando proporções maiores que o assunto central apresentado, não apenas falseia as situações ocorridas no cotidiano como contribui, de fato, para a total dispersão de assuntos que “não devem ser batidos na tecla”. 

John Kennedy, ex-presidente dos Estados Unidos e sua então esposa Jacqueline Kennedy foram alvos de especulações acerca de um suposto romance do presidente com a atriz Marilyn Monroe. Em meio aos holofotes destinados a atriz, o suposto romance era atenuado através de artigos e noticiários que focalizavam a exaltação da beleza de Marilyn e o bom gosto e escolhas de luxo da então primeira-dama. 

Ainda que os escândalos corroborem para que a imagem se desgaste, a beleza e sensualidade feminina é centralizada mediante a situações políticas desconfortáveis. Carla Bruni foi alvo de especulações acerca dos supostos amantes, dos escândalos sexuais e de uma vida regada a drogas. Entre a verdade ou inverdade dos fatos os noticiários durante meses tinham o que revelar em suas capas sensacionalistas. 

Ainda com uma vida medianamente permeada por escândalos, a ex-primeira-dama, conseguia se destacar pela beleza, vestes e comportamento impecável para o que se espera de uma então na época primeira-dama. Ainda que o seu marido Sarkozy tenha se envolvido em escândalos como a exemplo do caso L’Oreal, a mídia voltada aos passos de sua esposa Carla foram os holofotes perfeitos para mitigar tais eventos. 

A agora primeira-dama Marcela Temer é ícone de moda e “espelho” para as escolhas das brasileiras. A sobriedade das preferências de moda de Marcela não são um problema, mas um governo que diretamente não foi escolhido pelo voto popular e tem mundialmente um conceito sombrio essa sobriedade sim é preocupante! Mistificar as relações políticas e econômicas do país face as opções de roupas usadas em eventos é colorir à moda da primeira-dama e deixar em preto e branco todo o infortúnio cotidiano do povo brasileiro. 


*Amanda Cristina Souza




*Amanda Cristina Souza é Bacharel em Serviço Social pela UFPB, Poetisa nas horas vagas e escreve para o www.agorapb.com.br aos domingos.




Compartilha via Whatsapp

Sobre Chico Lobo

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.