Motorista de acidente que deixou três mortos cumpre licença médica na PB

O motorista do ônibus envolvido no acidente que deixou três mortos e seis feridos no domingo (11), no Centro de João Pessoa, está cumprindo licença médica de cinco dias devido ao trauma causado pelo acidente, de acordo com Mário Tourinho, diretor executivo do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de João Pessoa (Sintur-JP). A princípio, o motorista deve se apresentar na empresa Unitrans, onde trabalha, na segunda-feira (19), mas segundo Tourinho ele ainda vai ser avaliado pela psicóloga da empresa.
O ônibus teria batido em carros e invadido uma calçada, atropelando as vítimas, depois que o motorista teria perdido o controle da direção, na tarde do domingo (11). Conforme informações da assessoria de comunicação da Unitrans, o motorista não está em condições de falar com a imprensa no momento. Além disso, o departamento médico da Unitrans também orientou que o motorista não se pronunciasse até se recuperar do trauma. “Até esta terça-feira (13), essas são as orientações”, informou a assessoria.

Na manhã desta terça-feira (13), a perícia do Instituto de Polícia Científica (IPC) confirmou que o ônibus urbano envolvido no atropelamento não apresentava nenhum problema mecânico no dia do acidente.
Foram verificados o sistema de direção, freios e suspensão do veículo com ajuda de mecânicos da Unitrans, empresa proprietária do veículo. Segundo o gerente operacional de criminalística, Marcelo Burity, mesmo com o descarte da falha mecânica, o IPC ainda aguarda imagens da câmera de segurança de dentro do ônibus e de exames médicos feitos no motorista envolvido no acidente para chegar a uma conclusão da causa do acidente.
"O laudo principal deve levar em torno de 30 dias. Os complementares, uns desses feitos nesta terça, em torno de 10 dias. Feito isso, a gente junta tudo e elabora o laudo final", comentou.
O delegado Deusdeth Leitão, da delegacia de Acidentes de Trânsito, acompanhou o trabalho do IPC na manhã desta terça. "O que o motorista disse na oitiva foi que deu um apagão e que por isso perdeu o controle do ônibus. Foi feito um exame de etilômetro e deu zero. Solicitamos ainda os exames de alcoolemia e o toxicológico, estamos aguardando o resultado", disse o delegado.
O exame no veículo envolvido no atropelamento durou cerca de uma hora e meia. Um dos dois peritos criminais responsáveis pela análise no ônibus da linha 3200-Circular explicou que algumas peças vão ser retiradas para análises mais cuidadoas.,
Segundo o perito criminal Robson Félix, se preciso a equipe vai recolher peças do veículo para exames em laboratório. "A perícia é realizada em várias etapas e até agora não temos uma conclusão", disse.

Fonte:G1
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.