Mobilizações acontecem nesta quinta em Campina Grande e João Pessoa

Em apoio à pauta do Dia Nacional da Mobilização, manifestantes se reúnem na tarde desta quinta-feira (22) na Praça da Bandeira, em Campina Grande, desde às 14h. De acordo com a organização do protesto, 500 pessoas estiveram na concentração do ato. A Polícia Militar estima que 220 pessoas compareceram ao local.
A organização informou que os atos são prévias de uma greve geral que está prevista para o mês de outubro. O foco das mobilizações é contra a redução dos direitos trabalhistas, contra o atual governo e em protesto ao impeachment de Dilma Rousseff.

O movimento em Campina Grande é apoiado pelo Levante Popular da Juventude e conta com o apoio de movimentos estudantis da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).
"Estamos aqui para denunciar o golpe contra a democracia e dizer que é ilegítmo o governo de Michel Temer. Foi um golpe jurídico e midiático. Também estamos aqui porque não queremos nenhum direiro a menos e porque somos contra reformas nas Consolidações da Leis Trabalhistas (CLT) e na previdência", disse um dos representantes do Levante Popular da Juventude, Italo Aquino.
Segundo a organização, os manifestantes devem seguir o percurso partindo da Praça da Bandeira, pela rua Marquês do Herval, seguindo para a 7 de setembro, Maciel Pinheiro e avenida Floriano Peixoto, concluindo a mobilização novamente ao lado da Praça da Bandeira. Durante a caminhada, os manifestantes devem parar em frente aos bancos em apoio à greve dos bancários.
João Pessoa
Na capital paraibana, a mobilização se concentra em frente à escola Lyceu Paraibano, no Centro de João Pessoa. De acordo com Gleydson Melo, representante da Frente Brasil Popular, devem participar do ato cerca de 300 pessoas. Os manifestantes saem às 16h da concentração e seguiem para o anel interno da Lagoa ou para o Ponto de Cém Réis. O percurso final será discutido na concentração.
A mobilização deve envolver as categorias de professores das redes estadual e municipal, e da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Segundo o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado, a paralisação é nacional e os professores das redes municipal e estadual da Paraíba devem aderir ao ato nesta quinta-feira.
Segundo o representante Fernando Cunha da Frente Brasil Popular, “o objetivo é chamar a atenção das pessoas para os ataques que a classe trabalhadora está sofrendo, com a ameaça de corte de direitos sociais e trabalhistas, com as propostas de reformas da previdência, tributária e da CLT, além de uma série de projetos de lei que tramitam no congresso que estão em choque com os interesses da população”, informou em nota.

Fonte:G1
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.