Manaíra, em João Pessoa, está continuamente imprópria para banho

Uma vez por semana, a Coordenadoria de Medições Ambientais da Sudema divulga um relatório sobre a situação da balneabilidade de 56 praias de oito municípios da Paraíba, entre eles João Pessoa e Pitimbu se destacam com praias constantemente impróprias para banho. De janeiro até agosto, a praia de Manaíra, em João Pessoa, apareceu pelo menos uma vez por mês como imprópria para o banho, o que significa que ela passa pelo menos uma semana sem poder ser frequentada por banhistas a cada mês.
Durante o período, 51 relatórios foram divulgados pela Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema). Desse total, a Sudema alertou os banhistas 25 vezes para que evitassem o banho na praia de Manaíra, ou seja, atingiu quase a metade dos relatórios. A praia do Bessa esteve em 23 relatórios como imprópria para o banho e a praia do Maceió, em Pitimbu, foi alertada 21 vezes.
Os relatórios são divulgados semanalmente, no entanto, essas praias aparecem com frequência e poucas vezes estão ausentes do alerta da Sudema. A praia do Bessa, classificada em Bessa I e Bessa II, aparece em todos os meses do primeiro semestre, exceto em janeiro. Já a praia do Maceió, localizada em Pitimbu, aparece pelo menos uma vez por mês nos relatórios semanais e ainda não esteve ausente em nenhum mês desde janeiro de 2016 até o mês de agosto.
Segundo informações da Sudema, algumas praias encontram-se continuamente impróprias para o banho devido a contaminação por bactérias. “A contaminação é advinda de vários fatores, como rios contaminados, falha na rede de esgoto e/ou cruzamento com galerias pluviais, disposição inadequada de resíduos sólidos, entre outros”, explicou o coordenador de medições ambientais da Sudema, João Miranda.

O coordenador ainda informou que a ação de agir a partir dos problemas mencionados e tornar as praias próprias para o banho não compete a Sudema.
De acordo com João Miranda, o que o órgão pode fazer é alertar os banhistas divulgando semanalmente relatórios com a classificação das praias quanto à sua balneabilidade. “Além disso, a Sudema também disponibiliza placas indicativas nas praias de João Pessoa. Placas verdes indicam que a praia está própria e placas vermelhas significam que a praia está imprópria para o banho”, esclareceu.
O que tem sido feito
Para que as praias da capital paraibana possam estar em situação regular para os banhistas, a Secretaria de Meio Ambiente (Semam)  faz um trabalho conjunto com a Secretaria de Infraestrutura de João Pessoa (Seinfra). De acordo com a assessoria de imprensa da Seinfra, o órgão é responsável por realizar a limpeza diária das galerias de João Pessoa. Além disso, foi informado que esse trabalho é feito diariamente para evitar que qualquer água suja vá para o mar.
Juntamente com a Semam, a Secretaria de Infraestrutura de João Pessoa faz um trabalho de fiscalização das ligações clandestinas de esgotos. Segundo a assessoria da Seinfra, quando uma ligação clandestina é detectada, o órgão repassa a informação para a Semam, que fica responsável pelo combate e realização de projetos que recuperem as galerias e notificar e autuar os responsáveis pelas ligações clandestinas.

Conforme informou a Semam, no primeiro semestre do ano de 2016 o órgão aplicou doze autos de infração referentes a esgotos, lançados de forma inadequada no meio ambiente. Desses doze autos, seis foram aplicados à Companhia de Águas e Esgoto da Paraíba (Cagepa), que até 9 de junho foi multada em aproximadamente R$ 2,8 milhões.
As equipes de fiscalização da Semam são formadas por engenheiros ambientais, geógrafos, biólogos e gestores ambientais, e estão nas ruas das 7h às 22h, de domingo a quinta-feira, e das 7h às 2h, nas sextas e sábados. A assessoria informou que o órgão pode ser acionado pela população para denunciar ligações irregulares ou despejo de resíduos nas ruas pelos telefones 3218-9208 ou 0800 281 9208, entre as 7h e 22h.
Segundo a Semam, os bairros de Mangabeira e Bancários são as áreas com maior número de ocorrências de esgotos clandestinos, além dos bairros da orla de João Pessoa. A punição para quem liga esgotos clandestinamente vão desde notificações para corrigir o problema até lavraturas de um auto de infração, com multas de R$ 9 mil a R$ 49 mil, dependendo do grau da infração.

Como a população pode contribuir
Para classificar as praias quanto à balneabilidade, a Sudema utiliza os resultados das análises de coliformes termotolerantes das últimas cinco semanas e se mais de 80% desses resultados estiverem abaixo do limite estabelecido pela Resolução da Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), a praia é considerada própria para banho.
Seguindo as orientações da Sudema, os banhistas podem contribuir evitando tomar banho nos lugares interditados pelo órgão, ou seja, nas praias impróprias, e comunicando ao órgão caso observem despejos indevidos de esgoto nas praias. Além disso, os banhistas devem evitar arrancar ou danificar as placas indicativas, mobilizar-se para a conservação dos rios e cobrar do poder público políticas voltadas ao saneamento básico.

Fonte:G1
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.