Família de brasileiros mortos na Espanha pede doações em dinheiro

Os parentes da família de brasileiros que foi esquartejada na Espanha estão pedindo doações em dinheiro para custearem o translado dos quatro corpos e os trinta dias que vão precisar passar na Espanha. Eles estão recebendo as contribuições por meio de uma campanha em um site de financiamento coletivo, onde contam a situação da família. Segundo Walfran, irmão de Marcos Nogueira, uma das vítimas, o translado de apenas um corpo custa em média R$ 22 mil. “Que as pessoas possam nos ajudar com R$ 1 ou R$ 2. Se a gente conseguir cem mil pessoas doando um real, conseguiremos juntar R$ 100 mil e trazer nossa família de volta”, disse.
Até este domingo (25), de acordo com Walfran, a família ainda não havia recebido nenhuma sinalização de apoio do Itamaraty, Governo do Estado, prefeitura de João Pessoa e consulado brasileiro em Madri, para os custos da viagem e translado dos quatro corpos, a não ser as duas passagens de ida e volta já garantidas. Walfran ainda explicou que já garantiu duas diárias em um hotel de Madri, com o apoio financeiro de algumas pessoas da família.

As investigações seguem em sigilo na Espanha e a família, por enquanto, ainda acompanha de longe com as mínimas informações. Por conta disso, os parentes ainda não sabem com certeza quanto custa o translado de um corpo. Walfran explicou que um amigo que já presenciou situação semelhante informou o valor aproximado do translado. “Como as investigações seguem em sigilo, de longe não há muito o que possamos elucidar”, disse.
Segundo Walfran, as famílias de Marcos Nogueira e Janaína Santos Américo - mortos junto aos filhos de 1 e 4 anos - não têm condições de arcar com os custos sozinhas. "A gente precisa muito que o Itamaraty faça a sua parte. Senão, os corpos vão ficar na Europa", diz Walfran Campos, irmão de Marcos.
Questionado sobre a falta de apoio, o Itamaraty disse apenas que não está autorizado a divulgar informações sobre o caso, em cumprimento à determinação das autoridades locais de que as investigações tramitem em sigilo. “O Ministério acompanha o caso, por meio do Consulado-Geral do Brasil em Madri, e mantém contato com as autoridades locais e com familiares dos brasileiros”, disse, em nota.
Os corpos do casal e das duas crianças, de 1 e 4 anos, foram encontrados esquartejados no domingo (18), na casa onde eles moravam, em Pioz, a cerca de 60 km de Madri. Os investigadores calculam que os corpos se encontravam na casa há cerca de um mês.
Ainda segundo Walfran, as famílias conseguiram apoio para a compra das passagens aéreas dos parentes que vão à Espanha acompanhar o caso de perto. O Governo do Estado pagou as passagens de Walfran e o Consulado da Espanha em Salvador bancou os bilhetes aéreos do irmão gêmeo de Janaína, George Américo, e do primo dela, Pedro Rafael.

Fonte:G1
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.