Evento na PB debate cultura e estudo científico afrobrasileiro e afroindígena

Começa nesta terça-feira (13) em João Pessoa, a II Semana de Extensão AfroEducação Maracastelo. O evento, realizado pelo Coletivo Maracastelo e pela ONG Escola Viva Olho do Tempo (EVOT), tem o objetivo de promover o diálogo entre os saberes da tradição oral afrobrasileira e afroindígena e o conhecimento científico produzido em torno do tema. Durante o evento, que acontece até o domingo (18), serão realizadas rodas de diálogo, intervenções artísticas, mostras audiovisuais, minicursos e oficinas, além de apresentação de grupos de batuque.
A abertura do evento acontece às 18h desta terça, com as intervenções artísticas do Maracastelo e de Gil Roberto, na Praça da Diversidade do Centro de Educação (CE) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Em seguida, às 19h, o evento promove uma mesa redonda com os professores Dr. Estêvão Martins Palitot, Zé Nilton, Ma. Daniella Gramani, Danilo Santos e Déa Limeira, com o tema “folguedos brasileiros, educação e identidade”. A mesa redonda acontece no auditório 212 do CE.
Na quarta-feira (14), a programação do evento é voltada para a mostra audiovisual “Afroeducação e culturas tradicionais”, que acontece na Sala Vladimir Carvalho, na Usina Cultural Energisa, em Tambiá. Às 16h acontece o primeiro bloco, com a exibição dos curtas infantis “A menina e o tambor”, “Abuela Grillo”, “A lenda da criação do mundo e dos Orixás” e “Pajerama”, além da contação de histórias com Aline Alencar.

O evento segue às 19h com a mostra dos documentários “Estrela Brilhante é Nação de Fé”, de Angela Gaeta e Marcella Loureiro, “Novo Quilombo”, de Márcio Ramos, “Memórias dos Mestres do Vale do Gramame”, de Leandro Cunha e Peninha Teixeira, “Jongo - Levanta Povo”, de Felipe Scapino” e “Brincantes Visionários”, de Linaldo Rodrigues, além da animação “Vida Maria”.
Na quinta-feira (15), a partir das 9h, acontecem os minicursos “pesquisa em música e compromisso social” e “apontamentos sobre o projeto escola sem partido: a neutralidade como instrumento do autorismo na educação brasileira”, na Sala de Reuniões do CE. Já às 19h, na sala 402 do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA), acontece o minicurso “novo quilombo: protagonismo comunitário na gestão patrimonial”.
A sexta-feira (16) é dedicada a realização das oficinas “Tribos em Artesanato - Bonecos de Pano”, com Glaucia Lima, das 9h às 13h, e “Pífanos Artesanais”, com Renato Oliveira, das 15h às 18h. As duas oficinas acontecem na sede da Associação dos Moradores do Castelo Branco (AMCAB) e disponibilizam 20 vagas. As inscrições devem ser feitas via preenchimento de formulário online, disponíveis aqui (oficina I) e aqui (oficina II).
No sábado (17), o evento promove uma roda de diálogos com mestres da cultura popular. A discussão acontece na sede da Escola Viva Olho do Tempo, em Gramame, das 10h às 15h. Estão convidados a Mestra Doci, da contação e histórias da EVOT; Vó Mera, do grupo de Coco de Roda e Ciranda da Paraíba; Rainha Marivalda, do grupo Maracatu Nação Estrela Brilhante, do Recife; Mestre Grimário, do grupo Cavalo Marinho Boi Pintado e Maracatu de Baque Solto Piaba de Ouro, de Aliança (PE); e Mestre Robson, da Escola de Capoeira Angola ao Pé do Baobá, da Paraíba.
O encerramento do evento acontece no domingo (18), com a realização do II Encontro de Batuques da Paraíba. O encontro acontece a partir das 13h, no Parque da Lagoa Solón de Lucena, e visa a valorização das manifestações culturais tradicionais da Paraíba.

Fonte:G1
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.