Semana do Aleitamento Materno começa na segunda em Campina Grande

A XXV Semana do Aleitamento Materno será realizada entre os dias 1 e 7 de agosto.

Em Campina Grande, a programação começa na manhã da segunda-feira, 1, às 9h no Sítio São João com entrega de laços dourados, símbolo da campanha, apresentação e homenagem da madrinha da campanha e uma palestra sobre desenvolvimento sustentável e amamentação.

A programação segue diversificada nos demais dias da semana promovendo ações de conscientização para a necessidade do aleitamento materno para os bebês.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o leite da mãe deve ser ofertado às crianças até os dois anos de vida e durante os primeiros seis meses os bebês devem se alimentar somente do leite para evitar doenças e promover um desenvolvimento sadio.

Além das palestras que serão realizadas nas maternidades, a campanha tem atividades lúdicas como piquenique com as doadoras de leite, oficinas de relaxamento e massagem e serviços de beleza.


O projeto Doutores da Amamentação também fará apresentações nas maternidades para divertir as mães e gestantes e educar de forma divertida sobre os benefícios da amamentação.

Nas Unidades Básicas de Saúde as equipes da rede de Saúde Bucal farão palestras com as gestantes para falar como o simples fato de amamentar contribui para que o bebê não crie cárie na infância, não apresente oclusões e desenvolva o movimento de deglutir.

Na quinta-feira, 4, às 9h no Monumento dos 150 anos de Campina Grande, terá “A Hora do Mamaço”, ação em que dezenas de mulheres amamentam seus filhos para chamar a atenção de toda a cidade para a necessidade do aleitamento materno.

“Este é o momento mais bonito da campanha e pretendemos desta vez ampliar a visibilidade desta atividade para que todos saibam como é importante amamentar”, disse a Coordenadora do Banco de Leite Doutor Virgílio Brasileiro, Alane Tavares.

O Banco de Leite funciona no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea) e foi certificado recentemente pela segunda vez com o padrão ouro pelo programa Íbero-Americano do Ministério da Saúde e da Fundação Oswaldo Cruz.

O leite coletado é distribuído nas UTIs neonatais das maternidades da cidade para suprir as demandas dos recém-nascidos. Por mês são recolhidos em média 125 litros e são entregues 104 às mães.

O Dr. Virgílio Brasileiro realiza atendimento em grupo e individual, visita domiciliar, análise da qualidade do líquido.

“O BLH tem ajudado a disseminar a cultura da amamentação em Campina Grande e em todo o estado. Nesta semana estaremos também promovendo capacitação com coordenadores de outros bancos de leite da Paraíba”, disse Alane.

FONTE: Codecom/CG
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.