Réus são condenados por morte de casal em saída de casamento na PB

Gilmar Barreto da Silva e Samuel Alves da Silva foram condenados, nesta quinta-feira (18), em júri popular, pela morte do casal Washington Luiz e Lúcia Santana. O casal foi morto no dia 29 de março de 2014, na saída de uma festa de casamento, no bairro Catolé, em Campina Grande.Gilmar foi condenado a 37 anos e quatro meses de prisão e Samuel, a 42 anos.

Gilmar Barreto foi o primeiro a ser interrogado pelo juiz Falkandre Queiroz. Ele teria dirigido o carro para Samuel Alves que, segundo as investigações da Polícia Civil, foi o responsável pelos disparos que mataram o casal na saída festa. Quatro réus, acusados de envolvimento no crime, ainda vão ser julgados.

Entre os seis envolvidos, cinco se encontram presos em penitenciárias de Campina Grande. Maria Gorete Alves Pereira, acusada de ter auxiliado Gilmar no crime, está aguardando o processo em liberdade.

As 20 testemunhas do processo de investigação da morte do casal Washington e Lúcia foram dispensadas pela promotoria de justiça durante o júri popular desta quinta-feira. Sete pessoas fizeram parte do júri popular, sendo seis homens e uma mulher. O Ministério Público, os assistentes de acusação e a defesa dispensaram o depoimento de testemunhas.

O promotor Arlindo Almeida, que representa o Ministério Público da Paraíba (MPPB) no caso, entendeu que os vídeos com depoimentos nas audiências eram suficientes. O julgamento de dois réus acusados de participação na morte, Samuel Alves de Sousa e Gilmar Barreto da Silva, começou às 9h30 desta quinta-feira.
Era esperado que outro acusado, Franciclécio de Farias Rodrigues, também fosse a júri popular nesta quinta-feira, mas a Justiça informou que ele trocou de advogado e pediu adiamento. A sessão ficou para o dia 30 de agosto. Ele é apontado como responsável por planejar a morte e conseguir uma pessoa para executar o crime.


Advogados negam participação
Os advogados que representam os três acusados, Bruno Cadé e Rafael Albuquerque, negaram participação dos clientes no crime e disseram que faltam provas no processo que garantam a culpa do trio.

O processo judicial ainda envolve mais três pessoas, incluindo o empresário Nelsivan Marques, que era sócio de Washington e foi apontado como o mentor do crime. Ele recorreu no Tribunal de Justiça para não ser julgado. O advogado da família de Lúcia Santana espera pela pena de condenação máxima para os suspeitos.
Entre os seis envolvidos, cinco estão presos em penitenciárias de Campina Grande. Já Maria Gorete Alves Pereira, que teria auxiliado Gilmar no dia do crime, está aguardando o processo em liberdade.
Outro réu que aguarda o processo é Aleff Sampaio dos Santos. Segundo a Polícia Civil, ele teria participado de uma tentativa de homicídio contra Washington ocorrido semanas antes da morte do casal, também a mando de Nelsivan. Os acusados estão presos desde junho de 2014.
Entenda o caso
Os assassinatos aconteceram na saída da festa de casamento de Nelsivan, na frente de uma casa de festas no bairro Catolé. O caso ganhou repercussão nacional depois que a polícia descobriu o plano. O crime foi investigado pela Delegacia de Homicídios da Polícia Civil e o inquérito foi presidido pela delegada Tatiana Matos.

Fonte:G1
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.