Mulher se finge de morta para não ser executada e salvar o filho, diz polícia

A mulher que sobreviveu a uma execução na BR-153 se fingiu de morta e tapou com as mãos a boca do filho de dois anos para que eles não fossem mortos. Liliane da Silva e Enzo Henrique escaparam de uma chacina onde cinco pessoas morreram nesta segunda-feira (25) próximo de Wanderlândia, no norte do Tocantins. A informação é do delegado regional da Polícia Civil de Araguaína, Hemerson Francisco de Moura.
As vítimas são Alan da Silva, de 30 anos; Sidiney Pereira dos Santos, idade não informada; Wesley Alves da Silva, de 25 anos; e Deuzenir Alves da Silva, de 60 anos. Um menino de cinco anos foi lançado para fora do carro. Ele tinha marcas de tiro na cabeça e ainda não foi identificado.
Liliane da Silva contou à polícia que houve vários disparos de arma de fogo antes do acidente. O motorista do carro, Alan da Silva, foi atingido e perdeu o controle do veículo. Logo depois do capotamento, homens foram até o veículo e executaram os sobreviventes.
"Aparentemente foi uma briga familiar da linhagem cigana. Eles são naturais do estado de Goiás e estavam visitando familiares no Tocantins, mas já se dirigiam para o Maranhão, onde vivem", disse o delegado.

O delegado informou que Alan foi ameaçado de morte há cerca de dois anos e a partir desta época vem fugindo. "As informações são que houve disparos e após o capotamento a execução. Porém, só a perícia é que vai determinar o que houve", completou o delegado.
Liliane e Enzo Henrique foram levados para o Hospital Regional de Araguaína (HRA). Ela foi atingida por um tiro na perna e prestou depoimento na unidade de saúde.
O menino teve apenas ferimentos leves. A Secretaria de Estado da Saúde foi questionada sobre o estado de saúde da mulher e da criança, mas disse que não poderia passar informações sobre estes pacientes.
A polícia não informou quantos homens participaram da execução e se há pistas do paradeiro deles. O caso será investigado pela Delegacia de Polícia de Wanderlândia.
Entenda
Um carro capotou na manhã desta segunda-feira (25) na BR-153, perto de Wanderlândia, norte do Tocantins. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), cinco pessoas, incluindo uma criança, foram encontradas mortas no veículo com marcas de tiro pelo corpo.
Dentro do veículo, foi encontrada uma pistola ponto 40 de uso exclusivo da polícia. Ainda conforme a corporação, há disparos na cabeça das vítimas, típicos de execução.
Os Bombeiros foram chamados para atender a ocorrência, mas quando chegaram ao local perceberam que as vítimas estavam mortas e que havia indício de crime, por isso tiveram que aguardar o trabalho pericial para retirar os corpos. Os mortos foram levados para o IML de Araguaína, onde devem passar por exames.

Fonte:G1
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.