Ministério Público investiga ação da PM após explosão de caixa eletrônico

O Ministério Público da Paraíba vai apurar a ação da Polícia Militar após explosão de um caixa eletrônico que aconteceu na madrugada do último sábado (23), no bairro do Bessa, em João Pessoa. Foi encaminhado um ofício na tarde desta segunda-feira (25) à coordenadora do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial (Ncap), promotora de Justiça Ana Maria França, solicitando a instauração de procedimento para apurar com profundidade os fatos ocorridos.
De acordo com imagens divulgadas por moradores, um grupo de pelo menos oito homens encapuzados, cercou as imediações de um shopping no Bessa, por volta das 4h30 da madrugada, explodindo um posto de autoatendimento da Caixa Econômica Federal instaladas no local. Os assaltantes dispararam tiros e fizeram algumas vítimas reféns.

A Polícia Militar não conseguiu chegar até o local para prender os assaltantes em flagrante. De acordo com o capitão Antônio, comandante da Polícia Militar do Distrito Integrado de Segurança Pública (Disp) de Manaíra, que atende também a área do Bessa, a guarnição policial cumpriu o protocolo de preservar vidas. “Além disso, preservamos um dos princípios básicos da abordagem policial, que é a superioridade numérica”, completou. Segundo a Polícia Militar, só havia três policiais no efetivo e seria irresponsabilidade “afrontar” pelo menos oito assaltantes, armados e com reféns, sem cumprir o protocolo.
Ainda conforme explicações do capitão Antônio, quando a polícia foi chamada para o apoio no local, demorou cerca de sete minutos para que onze viaturas da polícia militar chegassem ao local. “O bando, de forma covarde, saiu em disparada, deixando dinheiro no solo”, disse. A polícia conseguiu recuperar dois carros utilizados na prática do crime.
O capitão Antônio da Polícia Militar ainda informou que a polícia está tentando prender os assaltantes, embora o caso esteja sob competência da Polícia Federal. Apesar do pequeno efetivo policial no momento do assalto, o capitão ressaltou que a polícia está preparada. “O efetivo utiliza pistola .40, apontada pela ONU como a melhor arma de combate policial urbano e nós também temos armas de grosso calibre, mas não podemos agir com irresponsabilidade e trabalhar com armamento desse tipo no combate urbano”, explicou.

Fonte:G1
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.