Malvinas II tem maior infestação do Aedes aegypti em Campina Grande

O bairro Malvinas II, na zona oeste de Campina Grande, no Agreste paraibano, é que tem registrado o maior índice de infestação do mosquito Aedes aegypti, transmissor dos vírus da dengue, zika e chikungunya. De acordo com o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), feito entre os dias 11 e 15 de julho, das casas visitadas no bairro Malvinas II foram encontrados focos em  7,2%.

Além desse bairro, outros 12 completam uma lista que indica os locais com maior incidência: Alto Branco (6,3%), Castelo Branco (6,3%), Jardim Tavares (6,3%), Bodocongó (6,2%), José Pinheiro (6,2%), Lauritzen (6,3%), Mirante (6,2%), Monte Castelo (6,2%), Nações (6,3%), Nova Brasília (6,3%), Novo Bodocongó (6,2%) e Santo Antônio (6,2%).
Apesar dos dados serem preocupantes, segundo o LIRAa, o índice de infestação geral por imóveis vistoriados caiu de 6,3%, no levantamento de abril, para 4,3% neste mês. Mesmo com a queda nos números, a Secretaria Municipal de Saúde informou que vai manter a intensificação as fiscalizações e manter o uso carro fumacê nos bairros com maior incidência de focos do mosquito e também naqueles que apresentaram mais casos de pacientes com sintomas de dengue, zika e chikungunya.

Imóveis abandonados
Para a gerente de vigilância ambiental da Secretaria Municipal de Saúde, Rossandra Oliveira, um fator que pode ter contribuído para a redução, foi o acesso dos Agentes de Combate às Endemias nos imóveis abandonados e terrenos baldios que estavam sem acesso. Segundo Rossandra, mais de 1.3 mil imóveis foram vistoriados por força de liminares expedidas pela justiça.

Fonte:G1
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.