Biólogos lançam em João Pessoa livro ilustrado sobre fauna da Fazenda Tamanduá

Será lançado nesta quinta-feira (28), em João Pessoa, o livro ‘Fauna Ilustrada da Fazenda Tamanduá. O evento acontece a partir das 18h30, no Centro Cultural Ariano Suassuna, prédio anexo ao Tribunal de Contas do Estado, em Jaguaribe.

Assinam o livro os biólogos Paulo de Barros Passos Filho, Leonardo da Silva Chaves, Rafael de Albuquerque Carvalho, Patricia Pilatti Alves, Mariana Miranda D´Assunção e João Gomes do Prado Neto.

Segundo os autores, o livro é fruto de um extenso trabalho de pesquisa, iniciado em 2008 e que se mantém desde então. O projeto original, no período entre 2008 e 2011, consistia exclusivamente em um inventário da avifauna da fazenda e resultou em um primeiro livro, Aves da Fazenda Tamanduá, elaborado por dois dos atuais responsáveis pelo capítulo de aves do atual volume.

“A excelente acolhida do primeiro livro foi a semente para um novo projeto, mais abrangente, que objetivou conhecer um pouco mais da fauna silvestre que se refugia na Fazenda Tamanduá, resultando em uma publicação realizada pelo Instituto Fazenda Tamanduá, por meio de uma equipe de seis biólogos, especializados em cada um dos grupos catalogados” , destacam.

Fazenda Tamanduá

Em 1977, o empresário Pierre Landolt iniciou uma busca por fazendas no semiárido brasileiro e achou a Fazenda Tamanduá, onde encontrou uma área grande, com ricos baixios, tabuleiros fartos e muitas áreas preservadas. Uma área bonita e diversificada, alternando serrotes, açudes e caatinga virgem, mas que, apesar da beleza cênica, pairava sobre o seu objetivo principal, que era encontrar um ambiente duro e castigado pelo calor e pelas secas, próprio para uso das tecnologias necessárias para estabelecer um equilíbrio entre a agricultura e pecuária avançadas e rentáveis e a conservação do frágil bioma Caatinga, xerófilo e espinhoso, rico e fascinante, com seus mamíferos, répteis e aves.

Passados 35 anos, a Fazenda Tamanduá transformou-se num “organismo agrícola”, seguindo os ensinamentos de Rudolf Steiner, pai da Biodinâmica, diversificando e integrando todas as atividades da Fazenda, agrícolas, pecuárias e de transformação, reciclando todos os resíduos, aplicando os preparados biodinâmicos e buscando o maior nível de independência em termos de insumos, sementes, mudas e defensivos, alinhados com os ritmos da natureza e dos astros. O trabalho foi reconhecido pelos certificadores com a concessão do selo “Demeter” para todos os produtos da Fazenda, hoje um modelo para muitos.

Fonte:Portal Correio
Compartilha via Whatsapp

Sobre Hugo Freitas

O AGORAPB O SEU PORTAL DE NOTÍCIAS
    Comentário via Blogger
    Comentário via facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os leitores que quiserem fazer algum comentário, devem estar logados no facebook, clicar em Like e escrever na caixa de texto que se abrirá automaticamente.